Morte de Jesus – mais que Gólgota?

Morte de Jesus – mais que Gólgota?

Escrito por: Piotr Pilch | Localizar: Malinka, Polen | Publicado: segunda-feira, 2 de novembro de 2015

A maioria dos cristãos, várias vezes ouviu, da morte de Jesus no Gólgota, onde morreu sem culpa e em silêncio, como um cordeiro derramou seu sangue por nós e morreu. Apenas poucos sabem que Jesus também morreu de uma outra maneira, e que a sua crucifixão foi a realização de uma obra que durou 33 anos.

Como Jesus viveu desde o seu nascimento em Belém, até a crucifixão no Gólgota? Ele estava sob uma proteção especial do Pai, enquanto vivia, para que não caísse em provações e pecados? Em Hebreus 4, 15 está escrito outra coisa: „Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado..

Provado como nós

Então, segundo isso, ele foi tentado, em tudo como nós, sem pecar? Como ele conseguiu isso? Para nós também é possível viver assim, e se for, como podemos alcança-lo? É possível para nós, não injuriar quando somos injuriados, e ameaçar quando sofremos? (1. Pedro. 2, 23)? Sobre tudo, é possível amar seus inimigos, como ele? (Mateus 5, 28.) Como podemos viver o resto das nossas vidas, fazendo a vontade dele, ao invés de viver para as paixões da natureza humana? (1. Pedro 4, 2).

Jesus tinha uma arma muito poderosa, com a qual ele podia vencer todas as tentações. Ele saía vitorioso de todas as tentações. Nós podemos ver como ele usava essa arma, quando ele foi tentado no deserto. Satanás apelou para a natureza humana de Jesus, e o tentou com coisas que são fraquezas para o homem, mas Jesus cortou logo suas propostas - ele „mortificou“ elas com a palavra de Deus! Assim ele „mortificou“ todas as paixões na sua natureza humana, que foram acordadas nele em diversas situações.

Liberto do pecado

Ele sabia, que não poderia fazê-lo sozinho. Por isso ele „nos dias de sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia“ (Hebreus 5, 7). Ele foi liberto, não da morte no Gólgota, mas da morte, consequencia do pecado.

Paulo exorta em Colossenses 3, 5: „ Mortificai pos os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência, e a avareza que é idolatria.“ Assim todo o pecado é mortificado com o tempo, e nós nos tornamos pessoas completamente felizes.

A morte das nossas paixões humanas, Paulo chama de morte de Jesus, porque Jesus foi o primeiro que o fez. Dessa maneira ele nos abriu o caminho para a libertação. (João 8, 36).