Nosso precursor

Nosso precursor

Escrito por: Kjell Fossnes | Publicado: quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Você já pensou, que Jesus - nosso salvador e reconciliador - também é nosso precursor? Isso pode ser verdade? Ele foi adiante. Nós podemos seguí-lo?

Podemos ler sobre isso em Hebreus 6, 17-20. O escritor da carta descreve, como Jesus, que foi adiante de nós, entrou no santuário e lá firmou a âncora da esperança. Ele utiliza esse exemplo do velho testamento, para explicar melhor. No templo havia um véu para o santuário, que apenas o sumo sacerdote, podia passar uma vez ao ano, para ofertar. Tudo isso, apenas era uma imagem, da obra que Jesus realizou!

Um novo e vivo caminho

Em Hebreus 10, 20 lemos: „Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne..“ Para Jesus, o véu, que bloqueava o caminho para o santuário, era sua carne, ou seja, sua natureza humana. Seu objetivo era entrar no santuário, lá onde ele deveria achar uma salvação eterna para a humanidade.

Provado em tudo

Depois de ter sido tentado em tudo durante sua vida, sem que caísse em um pecado sequer, ele exclamou da cruz no Gólgota:  „Está consumado!“ Lá ele rasgou o véu. Lá o novo caminho estava aberto, esse que também está aberto para nós! Por isso, está escrito em Hebreus 10, 19: „ Tendo pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus.“. Nós podemos seguir a Jesus no novo caminho com franqueza e fé, porque ele nos enviou o espírito santo, o mesmo espírito, que também deu força a ele, a força que ele precisava.

Seu caminho - nosso caminho. Sua vida – nossa vida

Agora a vida de Jesus pode ser manifesta. Assim como ele foi tentado, também nós somos tentados. Mas, como ele ofertou o seu próprio querer, na força do espírito eterno (Hebr. 9,14), nós também podemos deixar nossa própria vontade! Talvez você pergunte: Meu próprio querer, ele precisa ser ofertado? Que coisas boas teu querer te trouxe? Seja honesto! Ele freqüentemente não te trouxe, inveja, pensamentos impuros, vontade á presunção, desconfiança, talvez ódio e brigas? Como fica então o local onde a âncora está firme? Lá se encontra os frutos, os chamados frutos do espírito: amor, alegria, paz, paciência, bondade, fidelidade, mansidão e abstinência. Gálatas 5,22. O caminho de Jesus não merece que nós o caminhemos?