Existe esperança para mim

Existe esperança para mim

Escrito por: Laura Kloosterman com Carol Pembleton | Localizar: Missoula, MT, USA | Publicado: sexta-feira, 12 de setembro de 2014

„Para mim mesma eu não tinha nenhum tipo de esperança; eu mal estava em condições de passar o dia cumprindo as minhas tarefas de mãe com quatro filhos pequenos. Eu fui sobrecarregada com pensamentos indiscritíveis de desânimo – parecia que uma coberta pesada estava sobre mim.“

Carol Pembleton tem 70 anos agora e fala da sua luta contra uma depressão que freqüentemente volta e do caminho para sair dela. Ao longo de sua vida, ela teve muitas situações dificeis das quais teve que sair, e parecía que seria impossível mudar alguma coisa ou solucionar os problemas. Fazendo uma retrospectiva, ela toma consciencia do quanto esas situações pressionaram a alma e o corpo dela.

„Eu me sentía totalmente sem valor e e sem esperança em absoluto, e pensava: ‚Por que tentar uma vez mais‘?  Parecia tão escuro; eu sabia que precisava de ajuda.“

Ela estava ciente de que seu corpo é um templo para Deus, e desse corpo, que ela recebeu de Deus, ela quería cuidar.

Num certo ponto, quando a vida diária parecía pesar demais, Carol procurou um médico porque sabia que de alguma maneira precisava de ajuda. Ela tinha certeza que seu corpo é um templo para Deus (1.Cor. 6,19-20) e desse corpo, que ela recebeu de Deus, ela quería cuidar. Ela estava aberta a ajuda, não importava de que lado essa ajuda deveria vir. Seu médico receitou medicamentos e esperavam que isso poderia ajuda-la, mas por causa dos terriveis efeitos colaterais causados pelos mesmos, ela não pode continuar o tratamento.

Seu estado de animo, constantemente subia e descia, dependendo da dificuldade das circunstancias da vida no momento. Assim foi durante varios anos.

Quando passou dos 50 anos, Deus fez com que Carol encontrasse a dois Cristãos, que lhe mostraram grande cuidado e interesse.

„Quando o desespero e o desanimo voltaram -mais forte que nunca antes- eu conversei com eles sobre a minha aflição, e nesse instante a depressão desapareceu. Eu tive a sensação de que uma grande peso do meu corpo havia saido. Eu me sentía livre! Eles me deram varios versos da Biblia, nos quais eu deveria segurar firme, e eles tiveram esperança para mim, ainda que eu mesma não tinha esperança para mim.“

Joel 4,10 foi uma constante ajuda para ela: „… O fraco diga: forte sou.“

O fato desses amigos terem esperança para ela, transmitiu segurança a ela. „Sempre quando a depressão voltava, eu procurava eles, e eles citavam versos da Biblia. Muitas vezes eles oraram comigo, e o peso que sentía desaparecia sem mais.“ Carol se admirava, pelo fato de agora poder cumprir com suas tarefas diarias e com sua profissão como enfermeira.

Ela reconheceu que ela mesma também deveria lutar.

Atravez da ajuda que ela recebia dessa visita, ela reconheceu que ela mesma também deveria lutar. Carol conclui que foi o amor e a esperança desse casal, transmitidos nessas circunstancias, que a levaram a crer que fosse possivel para ela sair totalmente da depressão, e não ser torturada por ela durante o resto da sua vida.

„Eu recebi esperança para mim, quando lía a Biblia e cria nisso.“

„… e levando cativo todo o pensamento a obediencia de Cristo.„ (2. Cor. 10,5) Carol começou a entender, que ela deveria resistir a esse pensamento incrédulo, de falta de esperança, que acompanhava a depressão. Ela poderia recusá-lo! Ela creu na palavra de Deus e creu que Deus lhe daria a força, mesmo que ela não se sentía forte! Ela começou, „levar cativo“, ou seja, a resistir conscientemente a esse pensamento de desespero.

Carol sorri contente, ao expressar o quanto a sua vida tinha mudado até hoje. „Não há comparação com minha vida de antes. De acordo com minhas circunstancias, meus sentimentos podem subir e descer, mas eles não tem dominio sobre mim.“ Agora ela constrói sobre um fundamento sólido.  – ela escolheu, de segurar na palavra de Deus como diretriz na vida dela.

Não há comparação com minha vida de antes.

Ela se compara com a sogra de Pedro (Mat.8, 14-15), que havia sido curada, depois de que Jesus a havia tocado, e que depois se levantou e começou a servir. Carol diz: „Por esse motivo que fomos curados – para levantar e servir da mesma maneira que nos serviram a nós.“

Carol é um exemplo brilhante de que não devemos deixar-nos levar pelos pensamentos de desanimo da depressão, mas ao invés disso clamar a Deus e encontrar a saída dessas trevas. Ela recebeu ajuda para sua vida e quer dar a outros essa ajuda que está disponivel. Ela se expressa assim: „tão tolo como seria não aceitar a ajuda de um salva-vidas quando estamos por afogar-nos, assim também é tolo não aproveitar a vantagem da ajuda que recebemos pela Biblia. É necesario reconhecer que eu preciso de ajuda.“

Ela não somente acudiu ao salva-vidas, mas sim, também aprendeu a nadar!
„Eu sou muito agradecida pela ajuda de Deus em minha vida, também pela estabilidade que eu recebi atravéz dela. EXISTE esperança para mim.“