Um Cristianismo do «fazer»

Um Cristianismo do «fazer»

Escrito por: Pippa Jacobs | Publicado: terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Quando a luz brilha sobre o pecado, a responsabilidade de fazer algo sobre isso nos leva à ação.

Stuart acreditou em Deus, desde que ele pode se lembrar. Ele não teve uma educação  "religiosa",  mas ele sempre soube que havia um Deus. Quando adulto, ele procurou algo que pudesse confirmar sua crença de que havia um Deus, mas não encontrou nada nas igrejas do estado. Ele tinha a sensação de que o crente não pode ser apenas passivo - "nada a ver - Jesus fez tudo isso, é só sentar e relaxar ..." Ele sentiu que a crença em Deus pode levar a algo mais do que isso. Foi quando ele entrou em contato com Brunstad Christian Church - A Igreja Cristã - , onde ouviu um evangelho que poderia finalmente colocar o dedo sobre o que ele estava procurando.

Longe de tratar a vida como uma espera passiva para o céu

Ele ouviu que ser cristão está longe de tratar a vida como uma espera passiva para o céu, mas que há muito a FAZER. Ao ouvir a palavra de Deus tão claramente explicado na igreja, ele percebeu que a consciência do próprio pecado cresce. Assim como o nascer do sol se espalhando lentamente luz em toda a terra, tornamo-nos gradualmente mais conscientes do pecado em nós. Compreendemos cada vez mais que este pecado não nos faz feliz, e isso não agrada a Deus. Enquanto Deus nos dá mais luz, também temos mais responsabilidade de fazer algo sobre o pecado que ele nos dá luz sobre. Ele requer ação!

«Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contras as astutas ciladas do diabo» (Efesios 6, 11)

Stuart começou a ver que tinha um temperamento forte e que interferia em sua vida familiar. O ambiente que ele criou estava longe de "agradar a Deus." Ele orou e desejava mudar. Ele não queria continuar a reagir desta forma. Ele pensou muito sobre a maneira como ele reagia e ele se preparou, ou seja, "armou para a batalha." Ele estava cheio com a convicção de que ele não queria mais ficar com raiva, e ele orou a Deus pela força e se armou com a palavra de Deus .

Ele tinha se decidido para ser obediente, e Deus veio ao seu encontro com o seu Espírito Santo.

Stuart começou a praticar o que está escrito em Felipenses 2, 12, «Meus amados, assim como sempre obedecestes não só na minha presença, mas muito mais na minha ausencia, assim também operai a vossa salvação com temos e tremor. Porque Deus é que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.» Deus começou a operar mais QUERER  nele para levar a sua luta quando os resultados foram tão gratificantes. Ele teve a força que ele não tinha antes, para triunfar quando foi tentado. Ele tinha decidido ser obediente quando ele se sentia fraco, e Deus tinha vindo ao seu encontro com o seu Espírito Santo.

«Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes  da natureza divina, havendo escapado da corrupção que pela concupiscencia há no mundo, ...» 2. Pedro 1, 4

Você na verdade não sabe o que é felicidade até obter um resultado como este!

O dia veio quando ficou claro para Stuart que já fazia tempo que ele não tinha ficado com raiva e ele pensou: "Isso realmente funciona!" Fiel tomou sua luta espiritual, exatamente onde ele sabia que ele era fraco, e as reações naturais eram cada vez mais substituída pela natureza divina.

Agora diz Stuart, "Você realmente não sabe o que é felicidade até obter um resultado como este," Stuart é um homem feliz - ele sabe que há mais para trabalhar, mas com a ajuda de Deus ele vai fazê-lo! "Os resultados valem a pena!"