Uma vida atrativa

Uma vida atrativa

Escrito por: Matthew Ibrahim | Localizar: Melbourne, Australia | Publicado: segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Um sepultamento é tempo de tristeza e dor. A perda que as pessoas sentem quando perdem um de seus entes queridos, pode deixá-los desanimados e deprimidos. Mas para aqueles que crêem em uma vida em transformação, um dia como este traz consigo a esperança.

Quase 200 pessoas se reuniram no salão da igreja de Melbourne, Austrália para lembrar da vida de Menno Johan van der Staal e agradecer. Ele alcançou a idade de 74 anos e deixa sua esposa com a qual esteve quase 50 anos casado e nove filhos com suas famílias. A vida que Menno viveu foi em virtude da ajuda que ele mesmo recebeu e a maneira pela qual ele ajudou e influenciou positivamente os outros, de maneira excepcional.

Por quê tantas pessoas estavam reunidas para se alegrar pela vida e herança desse homem? O que foi tão atraente para as pessoas e o que faz essa vida tão atrativa?

O que foi tão atraente para as pessoas e o que faz essa vida tão atrativa?

Menno cresceu na Holanda como o terceiro de uma família de quatro filhos. O pai foi padre na Igreja Reformada Holandesa e recebeu a proposta de viajar para a Austrália. Em 1958 a família mudou para a Austrália, naquela ocasião Menno tinha 21 anos. Alguns anos mais tarde ele voltou para a Holanda e casou com sua colega de infância Wilhelmina (Wilma) e juntos se mudaram definitivamente para a Austrália. A capacidade dela no serviço social, e a capacidade pedagógica dele, e seu amor para com as pessoas conduziu eles em um trabalho com crianças imigrantes.
 

Menno era espontâneo e amava a natureza, e vivia consciente em relação ao seu entorno. Como homem jovem ele não foi nenhum seguidor do cristianismo de seus pais, mas ele sempre carregou em seu coração o amor e o respeito em relação a Deus, que trazia consigo desde a convivência do lar. Ele tinha uma habilidade muito grande de expressar seus sentimentos através de poemas, música e fotos.

Desejo por algo mais

Depois de certo tempo Menno recebeu uma proposta para ser professor no norte. Ele aceitou a proposta e mudou-se para uma pequena comunidade em uma ilha do litoral norte da Austrália, onde passaram a traalhar com crianças nativas. Nessa ilha havia um posto missionário metodista. Menno queria ser útil e passou a dar estudos bíblicos para alguns dos jovens homens. Ele reconheceu rapidamente, como é difícil mediar algo espiritual, quando se tem a sensação de não ter o que poder dar para os outros.

Nesse local isolado com clima tropical,  Menno passou a sentir uma miséria profunda sobre a sua própria vida. Ele desejava responder a Deus por sua vocação, e começou a pesquisar intensivamente na bíblia. Ele e Wilma oraram nessa miséria, pela plenitude no Espírito Santo, e ele a recebeu. Desde então as escrituras passaram a ser reveladas e vivas para eles.

Como poderiam viver a vida que Jesus trouxe consigo, de fato?

A família Van der Staal se alegrou muito pela nova fé viva encontrada, mas muitas perguntas permaneceram sem reposta. Como eles poderiam ir mais fundo na palavra de Deus? Como poderiam viver a vida que Jesus trouxe consigo, de fato? Eles não precisaram esperar muito tempo pela resposta. Enquanto Menno teve contato com um pastor da igreja reformada, que também havia se mudado para a Austrália, ele recebeu literatura de Brunstad Christian Church. Foi a primeira vez em que ouviu que é possível receber vitória sobre o pecado.

O pai de Menno faleceu e eles decidiram mudar-se para mais perto de sua mãe. Quase simultaneamente um grupo de pessoas passou a se reunir na igreja de in Melbourne. Menno e Wilma mudaram-se para lá, e encontraram por aquilo que procuravam: sua casa espiritual.

Obediência conduz a transformação

Desde então Menno parecia como renovado, e parecia como se o seu desejo por agradar a Deus tinha passado em todas as áreas de sua vida. Ele recebeu revelação sobre a sua própria natureza e pode reconhecer o mal que estava nele (Romanos 7,21). Ele desejava tanto ser paciente e poder dizer boas palavras para aqueles que as precisavam; entrar em um repouso profundo e completo - descanso daquilo de julgar os outros ou procurar o que é próprio de uma ou outra forma. Ele se sentia limitado por sua própria crítica natureza, mas agora ele podia usar da força do espírito santo, que ele havia recebido através da oração e miséria. Através da fé e obediência pela palavra de Deus e exigência do espírito santo ele foi transformado passo a passo de seu homen velho, a fim de poder ser igual a Jesus.

Posso chegar a uma vida assim, ... que seja dito de mim: «Deus está conosco»?

Um dos favoritos de Menno era Isaías 7,14. Ali está escrito das profecias sobre Jesus, que deu a Ele o nome de Emanuel – Deus está conosco. «Posso chegar a uma vida assim», Menno podia pedir isso pra reunião, «para que as pessoas á minha volta possam dizer o mesmo? Que eu posso possuir as virtudes de Deus, para que seja dito de mim: «Deus está conosco»?

Mesmo sendo um dos irmãos mais velhos em Melbourne e Austrália, ele nunca se tornou vaidoso e tampouco desejava uma posição. Ele entendeu que Deus pesa as pessoas pelo seu conteúdo espiritual e não pelos serviços e obras exteriores. Ele empurrava os jovens adiante e se alegrava pelo seu desenvolvimento e crescimento pessoal, quando eles serviam na igreja. Pessoas jovens com um espírito rico em vitórias eram heróis para ele.

Amor para com as pessoas

A batalha pessoal de Menno contra o pecado na sua vida, vivendo em transformação, deu a ele grande respeito por esse trabalho em outras pessoas. Ele contou com freqüencia como ele ficava feliz quando via que as coisas iam bem com as pessoas que tinham um grande espaço no seu coração. Ao mesmo tempo tinha grande compaixão com aqueles que tinham dificuldades.

Uma vez qundo receberam visita de irmãos mais velhos de Brunstad Christian Church, Menno estava sentado, em sua simplicidade, observando como as histórias interessantes e a instrospecção na palavra de Deus impressionava profundamente muitos de seus amigos. Depois esse irmão falou com alguns, individualmente, fortalecendo e animando, dando orientações em várias situações da vida. Mais tarde Menno suspirou e disse: „Isso é uma vida invejável!“ Ele expressava seu desejo por mais crescimento pessoal, para que ele também pudesse mediar para seus amigos, aquilo que eles precisam para viver agradando a Deus. Ele viu a sua fraqueza e sentiu, que tinha alcançado tão pouco da vida que Jesus tinha vivido na terra.

Mas Menno alcançou muito. Para todos a sua volta, e para todos os que o conheciam, estava claro como cristal que ele foi transformado, depois de ter seguido por muitos anos, ao seu Senhor e Mestre. A humildade de Menno operou que o espírito de Deus pudesse transformar ele segundo a imagem de Jesus; seu salvador, o qual servia em fidelidade e obediência.

Nós cremos na vida!

No sepultamento Milenko, o filho mais velho de Menno, fez o discurso em memória com uma descrição do sentimento esmagador de amor de todos aqueles que se reuniram para lembrar de Menno. Esse amor vem de um laço mútuo entre Menno e todos, que o conheciam e tinham respeito pelas batalhas espirituais, que ele lutou em sua vida. E enquanto nós, que estávamos tão próximos a ele, ficamos e sentimos o pesar e a perda de um bom amigo, vivenciamos verdadeiramente que as palavras de Paulo se tornam realidade: Nós não temos que nos preocupar como aqueles que não tem esperança. Nós cremos na ressurreição e na vida! Menno guardou a fé e concluiu a carreira. Nós cremos que nós nos veremos outra vez, e nos alegramos pelos valores eternos, que foram criados por ele durante seu tempo aqui na terra.

Nós cremos na ressurreição! Nós cremos na vida!