„A década decisiva: Por quê entre 20 e 30 são os anos de tanto significado.”

„A década decisiva: Por quê entre 20 e 30 são os anos de tanto significado.”

Escrito por: Irene Laing | Publicado: segunda-feira, 24 de junho de 2013

Há algum tempo o título de um livro despertou minha curiosidade: „A década decisiva: Por quê entre 20 e 30 são os anos de tanto significado e como se pode agora tirar o melhor proveito disso.“ Isso me fez pensar.

„Eu tenho visto incontáveis pessoas entre 20 e 30 anos que viver por muitos anos sem perspectivas“, esclarece a autora e psicóloga Meg Jay. „O que é pior são as lágrimas que os de trinta e quarenta anos derramam, por estarem pagando um preço alto pela falta de visão entre os 20 e 30 anos."

De acordo com Jay vivo agora na década crucial da minha vida. Ela afirma que as coisas que eu faço ou deixo de fazer entre os 20 e 30 anos, tem enorme impacto na minha própria vida e na geração futura. Isso é uma afirmação bastante forte, digo eu.

Jay descreve as pessoas entre 20 e 30 anos que em meio a sua liberdade, estão por descobrir como prisioneiros e assim descobrem estressados o que devem fazer com o resto de suas vidas. „Comprar uma casa? Casar? Estudar? Aceitar um emprego?“ Essas decisões importantes que todos nós temos que tomar são, muitas vezes, motivos para preocupações e medos, enquanto outros se aproximam dessas decisões com desconhecimento ou indiferença.

O livro me fez refletir: „Como eu aproveito os meus anos entre os 20 e 30?“

Meus pensamentos vão para um versículo em gálatas 6,7: Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará..“ Eu não preciso ter medo do que o futuro deverá me trazer. Deus vai me dar a possibilidade, de decidir o resto da minha vida através da semeadura que faço nas pequenas decisões da minha vida diária.

Deus deu a possibilidade de decidir o resto da minha vida através da semeadura diária.

 
lies auch:

Através de fazer a vontade de Deus eu semeio o bem – a vontade de Deus é o bem. É mais fácil dizer do que fazer, e isso requer uma luta contra o pecado que mora em mim. Essa é uma luta nos meus pensamentos. Se sou tentado, por exemplo, a  me irritar, preocupar, ter pensamentos de desconfiança em relação as pessoas a minha volta, desejos para com o sexo oposto ou a ser ofendido, então ouço a voz de Deus que me diz que tenho que dizer  „Não“ para estes pensamentos, a fim de que os mesmos não entrem em meu coração. Pois está escrito em provérbios 4, 23: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.“

O que tem a ver então com „determinar a minha vida“?

Se sou obediente a voz de Deus, nas pequenas coisas, então tenho experimentado que Deus também é fiel para me guiar e responder também quando tenho que tomar decisões importantes. Essa relação com Deus me dá paz e segurança em tudo. Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.“ Jeremias 29, 11.

Essa relação com Deus me dá paz e segurança em tudo.

„A década decisiva“ me instigou a pensar. Eu me deicidi fazer o máximo dos meus anos entre 20 e 30, e me alegro pelo meu futuro!
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.“ Mateus 6, 33.