Aborto: Uma perspectiva cristã

Aborto: Uma perspectiva cristã

Publicado: quarta-feira, 29 de julho de 2015

Dificilmente outro tema tenha desencadeado tantos debates, diversidade de opiniões, emoções e retórica quanto o tema do aborto. Ele é assunto de inúmeros artigos, livros, falas e demonstrações. Para muitas das perguntas parece não ter respostas concretas, sejam científicas ou sejam éticas.

Uma das perguntas centrais é: „Quando a vida começa, na realidade?“ A outra é: „De que maneira a vida começa?“

Cada pessoa é, desde o momento da concepção, um ser vivo único e independente. Existem muitos debates sobre isso de qual seria o ponto de partida do qual podemos dizer que a vida começa – isso acontece com a concepção, ou quando o coração começa a bater, ou em outro momento?

Deus conheceu toda a vida desde a eternidade

Como cristãos fundamentamos nossa vida e nossa fé sobre a palavra de Deus. Embora ninguém pode provar cientificamente quando a vida começa, nós sabemos da bíblia que Deus é o princípio da criação de toda a vida. Quando Deus criou primeiro a Adão, este não tinha vida até que Deus „e soprou em suas narinas o fôlego da vida“ (Gênesis 2,7). Segundo isso, portanto, não é um processo químico que traz a criança por nascer á vida, mas é o fôlego da vida soprado por Deus, e ninguém pode dizer quando acontece.

Deus não apenas conhece cada pessoa antes mesmo dela existir, como também tem um plano com cada vida.

A vida é santa, pura e intocável e nós temos que respeitar isso, da mesma maneira que respeitamos a Deus, o criador de toda a vida. Na bíblia está escrito claramente que Deus sabe todas as coisas, inclusive o que ainda vai acontecer, e ele já sabia desde a eternidade. Assim ele já conheceu cada pessoa e cada vida, inclusive desde antes da concepção.

Deus não apenas conhece cada indivíduo antes que o mesmo passe a existir, como também tem um plano com cada uma das vidas. isso é claramente descrito em Salmos:
Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia. Salmos 139, 13-16.

Razões „Lógicas“ para o aborto

Existem inúmeras razões pelas quais pessoas decidem por interromper uma gravidez antes do tempo. Apesar do aborto ter sido praticado por todas as culturas e em todos os tempos no decorrer da história, é através do avanço da medicina e da mudança das normas sociais da sociedade moderna, que o mesmo se tornou mais acessível e tem muito mais aceitação do que nas gerações mais antigas.  „Razão“ ou „egoísmo“,  como alguns afirmariam, seriam alguns dos principais motivos: o momento não é agora, os pais calcularam que não tem condição de ter mais um filho, a gravidez não é socialmente aceitável, etc. Contudo não é nosso negócio de acabar com a vida, pois a palavra de Deus diz claramente:Não matarás(Êxodo 20,13). A „finalização“ de uma vida que começa a se desenvolver é por essas razões, pecado contra Deus e contra a vida por nascer.

Não é coisa pequena prestar conta diante de Deus por acabar com uma vida que Ele criou.

Não é coisa pequena prestar conta diante de Deus por acabar com uma vida que Ele criou. A transgressão das leis e vontade de Deus traz tristeza e pesar, e muitos precisam continuar vivendo com enormes cargas físicas e espirituais depois de terem executados ou feitos aborto. Perdão verdadeiro e santificação só podem acontecer se procuramos a Deus o Senhor sobre toda a vida. Ele é um Deus misericordioso e amável, e vai dar paz aqueles que procurarem a Ele com um coração sincero.

Deus não é preconceituoso

A ciência tornou possível detectar muitas deficiências e  „anormalidades“ já em estádio ainda inicial do feto em desenvolvimento. Alguns argumentam que o feto com anormalidade única nunca poderia viver uma vida plena, e a coisa mais humana e racional seria de interromper a gravidez. A bíblia, no entanto, nos ensina que cada pessoa é formada segundo a imagem e semelhança de Deus, e cada um foi formado segundo a determinação de Deus. Não está, então, nas mãos dos homens, determinar quem deve viver ou morrer. Deus não é preconceituoso, também não em relação aos fracos, os menos favorecidos, e aos não nascidos. Ele também criou eles. Acabar com uma vida que ainda não nasceu, porque não é „perfeita“ , significa assumir o papel de Deus, e a quem foi atribuído essa autoridade?

Aquele que me formou no ventre não o fez também a ele? Ou não nos formou do mesmo modo na madre!“ Jó 31,15.

Deus não é preconceituoso, também não em relação aos fracos, os menos favorecidos, e aos não nascidos. Ele também os criou.

Ai daquele que diz ao pai: Que é o que geras? E à mulher: Que dás tu à luz? Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou: Perguntai-me as coisas futuras; demandai-me acerca de meus filhos, e acerca da obra das minhas mãos. Eu fiz a terra, e criei nela o homem; eu o fiz; as minhas mãos estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas ordens“ Isaías 45, 10-12.

Tomar uma decisão juntamente com Deus

Algumas situações são mais do que claras, e nem todos os abortos são realizados por razões "egoístas". Aqui é absolutamente necessário ter um contato pessoal com Deus. Isso significa estar completamente de acordo com a vontade e instrução de Deus, mesmo quando elas vão contra a própria vontade e razão. Baseado nisso somos responsáveis pelas próprias decisões. Tudo o que fizemos precisa acontecer na fé, fé e obediência em relação ao Deus onipotente, aquele que dá e tira a vida, o justo juiz, que tem um amor imensurável e cuidado com cada vida, e um propósito divino para cada vida – para a mãe da criança que ainda não nasceu e todos envolvidos. Cada decisão que é tomada juntamente com Deus, é parte interessada de Deus, e nenhuma outra pessoa pode fazer julgamento.

O cristianismo é baseado na fé no Deus onipotente e na sua força criadora nas coisas naturais e espirituais. A bíblia, a palavra de Deus, é o fundamento para o nosso viver. Nós confiamos em Deus o criador onipotente, que conhece todas as coisas, também a vida de uma criança que ainda não nasceu. Nós, criaturas suas, somos chamados a viver para ele, em temor e adoração, em plena fé inabalável no seu amor, bondade e sabedoria. Cada decisão tomada juntamente com Deus, traz paz e repouso. Nós cremos que muitas vidas teriam sido poupadas se tivéssemos procurado Deus antes de tomar essa decisão.