Como pode um Deus amoroso enviar as pessoas para o inferno?

Como pode um Deus amoroso enviar as pessoas para o inferno?

Escrito por: David Risa | Publicado: quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Não pode haver dúvida de que o inferno existe. Jesus menciona várias vezes nos Evangelhos. (Mateus 23:33, Lucas 12,5, Mateus 16:18, para citar alguns.) Mas pode ser difícil imaginar como um Deus amoroso e misericordioso poderia enviar pessoas para um lugar descrito como um«inferno». (Mateus 13,50)

O último recurso 

Dentro do Judiciário a prisão é muitas vezes referida como um último recurso. Isso é por causa do impacto negativo surpreendente que tem sobre todos os aspectos de uma vida humana. Geralmente é assim que quanto mais tempo um criminoso reside na prisão, menos provável é que a pessoa pode ser capaz de se reabilitar.

Às vezes é a única opção; o último recurso. Além de ser uma punição, a prisão, em alguns casos, é a única forma de garantir que a pessoa nunca irá cometer crime novamente. Além disso, o pensamento de uma vida atrás das grades é a única coisa que freia alguns na sociedade de cometer homicídio ou outros crimes.

Um Deus misericordioso e longânimo

As escrituras retratam o inferno como o último recurso de Deus. «O Senhor não retarda a sua promessa, como alguns a julgam demorada. Mas ele tem paciência com você, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.» 2. Ped 3,9.

Deus não quer que alguém seja lançado no inferno. Ele tem um amor intenso para cada um que colocou na terra. Ele dá às pessoas tantas chances de se arrepender e receber o perdão. Deus estende a mão para pessoas de inúmeras maneiras, e incentiva-os a se reconciliar com ele. Ele enviou Seu único Filho à Terra para nos mostrar o caminho, tudo o que poderíamos ter todos os tipos de oportunidades para ser salvos. (Jo. 3,16)

Deus não quer que alguém seja lançado no inferno. Ele tem um amor intenso para cada um que colocou na terra. 


Ele diz sobre os dias de Noé que«a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seus coraçoes eram só más, todos os días.», mas Deus poupou Noé e, portanto, todo o futuro da humanidade, tendo emitido uma sentença de morte sobre toda coisa vivente. (Genesis 6) Este é um exemplo vivo de sua paciência e misericordia.

Deus é exatamente o mesmo hoje. Sua aversão e ódio ao pecado e os danos que causa não diminui com o tempo. Nem seu fervoroso desejo de que todos cheguem ao arrependimento. Mas ele nunca força & nbsp; alguém a arrepender-se. O amor eo respeito que ele tem para o nosso livre arbítrio o impede de fazê-lo. Cada um deve tomar sua própria decisão: servir a Deus em vez de pecar.
Tudo começa com isto: «temê-lo!» O medo de pecar contra Deus que teve José (do Egito) levou-o a ver o pecado como Deus o ve, e levou-o a exclamar«Como eu posso cometer este grande mal, e pecar contra Deus?» Gen. 39,9.

Você acha que a punição é muito dura; que um Deus que iria julgar alguém para o inferno é muito duro e não poderia ser amoroso? Então você não vê o pecado tão mal como ele realmente é. Deus não pode permitir que qualquer coisa impura entre em seu reino, para que não destrua o que é santo e puro. Se o pecado fosse admitido para o céu, a maldição que está sobre a terra também entraria e Deus não vai permitir que isso aconteça. Suas leis eternas, imutáveis estão firmes, e ele não faz exceção


Quando se escolhe conscientemente viver de maneira contrária às leis de Deus, e rejeitando Seus sussurros à conversão, escolhemos mesmo (é uma auto-escolha) qual será o resultado de sua vida.

Não erreis– O inferno não é um lugar ao qual as pessoas simplesmente«são mandadas(enviadas)». Assim como há um caminho que leva ao céu, há também um caminho que conduz para o inferno– e tem muitos sinais. É um caminho que alguém decide tomar, uma direção que começam a seguir, e um curso que tenham estabelecido muito antes de chegar lá. Quando se escolhe conscientemente viver de maneira contrária às leis de Deus, e rejeitando Seus sussurros à conversão, escolhemos mesmo (é uma auto-escolha) qual será o resultado de sua vida.

Deus, o justo juiz

«Porque ele vem! Sim, ele vem para julgar a terra. Ele julgará o mundo com justiça e os povos com fidelidade.» Salmo 96,13.

Mesmo as pessoas que nunca ouviram falar de Deus serão julgadas por Ele um dia. Essas pessoas serão julgadas de acordo com sua consciência, o senso intuitivo de certo e errado que todo ser humano tem, e de acordo de como eles viveram em relação a ele.


Deus é tão justo que certamente ninguém vai ser capaz de resistir diante dele naquele dia e dizer que algo não foi justo. 

Deus é justo, e ninguém vai ser lançado no inferno por algo que não entendia que era errado. Mas qualquer um que age contra a sua consciência deve prestar contas por isso. (Romanos 2.12 a 16) Deus é tão justo que certamente ninguém vai ser capaz de resistir diante dele naquele dia e dizer que algo não foi justo.

Render as contas pela sua vida

Mas não é a intensão de que o medo do inferno e da danação eterna seja a força motriz por trás de todas as nossas decisões. Em vez disso, a paciência, a misericórdia e o amor de Deus para conosco, devem inspirar-nos a amá-lo novamente. Tanto que tenhamos medo de pecar contra ele. Pare um pouco e pergunte a ti mesmo: «Em qual caminho que estou? Que pensamentos agarro em meu coração, e qual suas consequencias se eu não tomar uma decisão com eles?»

Você terá uma eternidade para pensar sobre o resultado das escolhas que você faz agora, por isso não evite a verdade sobre as consequências de pecar contra Deus. Quando o nosso tempo na terra termina, todo mundo vai ser obrigado a render contas para o justo Juiz. Neste dia você estará lá, não com amigos, familiares ou colegas, mas sozinho– somente Deus e voce. Então você nem terá o tempo nem a oportunidade de voltar para trás e para ordenar os problemas e outras coisas.  Hoje você tem as duas coisas.

A paciência, a misericórdia e o amor de Deus para conosco, devem inspirar-nos a amá-lo novamente. Tanto que tenhamos medo de pecar contra ele.. 

Este é o momento para começar no caminho certo, um caminho sem turbulência e inquietação que vem de uma vida que não está pronta para a avaliação. Todos aqueles que escolhem obedecer as abençoadas promessas de Deus, experimentam o quão bom ele é! Eles vivem uma vida incrivelmente rica, cheia de paz e felicidade. Onde essas pessoas vão, elas espalham alegria e luz do sol – independentemente do estado de suas finanças, saúde ou outras circunstâncias pessoais. Ao viver em harmonia com os mandamentos de Deus, elas trazem de fato um sabor do céu para os seus arredores. Este é o propósito de Deus para as nossas vidas.