Fazei discípulos de todas as nações

Fazei discípulos de todas as nações

Escrito por: Sigurd Bratlie | Publicado: quinta-feira, 20 de outubro de 2016

«E Jesus veio e falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra! Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco até o final dos tempos!» Mateus 28,18-20.

Aqui vemos a missão que os Apóstolos receberam de Jesus. Não foi apenas para chegar ao pé da cruz, para o qual muitos chamados evangelistas e canções religiosas convidam, que porão ali sua carga de pecado. Se o fizerem, eles são considerados cristãos e nascidos novamente. Mas o convite de Jesus a segui-lo era de um significado completamente diferente, e foi o conteúdo que os apóstolos davam as pessoas quando as convidavam a vir a Jesus. Eles deveriam torná-los discípulos.

Falsificar a palavra de Deus

Há muitas pessoas que têm a obra para levar as pessoas a acreditar no perdão dos pecados e buscar a Deus quando estão em necessidade, para que eles possam obter ajuda e bênçãos, e se conseguiram isso, eles estão felizes. Sua ação é, em seguida, a de fortalecer e preservar-los na fé, e que muitas vezes pode ser um trabalho difícil.

Jesus falava de tal maneira que muitos chegaram a fé nele: «Jesus disse aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos. E reconhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.» João 8,30-36. E nós sabemos como isso evoluiu. Quando ele iria torná-los discípulos, começaram a odiá-lo. Assim é hoje. Muitos dos que se dizem cristãos, e acreditam que eles são nascidos de novo, se tornam«inimigos» do evangelista se ele quer torná-los discípulos. Mas com a missão Ele não se importa. O evangelista preferirá uma reputação de ter grandes avivamentos, e não correr o risco de que estes muitos se tornam inimigos e sigam o seu caminho.

É claro que estes tais evangelistas, nem mesmo eles próprios, se tornaram discípulos ou são nascidos de novo. Paulo já diz, no momento: «Porque nós não somos, como muitos outros, falsificadores da palavra de Deus para servir nele. Antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus diante de Deus.» 2. Cor. 2,17.

Apenas poucos

Jesus respondeu aquele que queria segui-lo, que primeiro queria dizer adeus àqueles em casa: « Mas Jesus disse-lhe: Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o reino de Deus.» Lucas 9,62. Quem tem a fé para dizer tal coisa, quando alguém vem e quer estar junto? Nós entendemos das Escrituras que são poucos os que estão aptos para o reino de Deus; mas há muitos que estão aptos a buscar a Deus para obter ajuda para seus problemas. Quando Israel entrava em dificuldades, convertiam-se todas as pessoas; mas quando já haviam recebido a ajuda de Deus, eles seguiam seus próprios caminos. Aqui permanecem as grandes congregações hoje que não têm outro interesse de buscar a Deus para não perecer e para obter ajuda nas dificuldades da vida terrena. E estes pagam um fluxo de pregadores para fortalecer-se na crença de que Deus é clemente e quer ajudá-los apesar de sua má vida, e que Deus pelo amor de Jesus não lembra de seus pecados.
Quem pode ensinar as pessoas a guardar tudo o que Jesus ordenou? E quem está apto para ser um discípulo?

 

Este artigo é composto de trechos do livreto«O evangelho de Deus» (Skjulte Skatters Forlag, Norge 1988/1992) e do artigo «Aprender a guardar», do livreto de BCC «Skjulte Skatter» em maio 1949.
© Copyright Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag