O amor não se ensoberbece

O amor não se ensoberbece

Escrito por: Sam Petkau | Publicado: sexta-feira, 22 de junho de 2012

Se „ensoberbecer“ é uma expressão significativa de  „vangloriar-se“. Uma das propriedades do amor é que ele não se vangloria (1. coríntios 13, 4).

Vangloriar-se quer dizer, aparentar maior e melhor, do que a realidade. É impossível que isso seja uma propriedade do amor, porque o amor é verdadeiro. Pretensão é o contrário de amor. O motivo por trás disso é ter a atenção dos outros voltada para si, como um pavão macho! Indicar ou se portar de uma maneira especial, ou fazer as pessoas acreditar que tens amor, a partir de gestos exteriores, é muito destrutivo e vai te tomar a força para amar verdadeiramente.

A essência do amor é, ser de proveito para seu receptor

A natureza do amor, propriamente é, ser aproveitável para seus receptores. O amor é um pacto oculto do coração e um compromisso, a apenas fazer o bem e vantagens para aquele que é amado, sem ter consideração por si mesmo, ou buscar o ganho próprio. Todas as exigências e expectativas por retribuição são vergonhosas e contrário de amor.

O amor não é convencido de si mesmo, é não pode se ensoberbecer! Como o amor poderia ter algo de que se vangloriar? Pelo contrário, como o amor é muito atencioso para as aflições e condições de seu „alvo“ ele é, felizmente livre de se sobressair, defender ou justificar.

Amor é livre do seu querer… vangloriar-se é egoísta!

Amor dá…vangloriar-se toma!

Amor é ofertar…vangloriar-se é se autoproteger!


Amor exalta os outros…vangloriar-se serve a si mesmo!

Amor traz paz…vangloriar-se é um mar de inquietação!

Amor é plenitude…vangloriar-se é vazio!