O amor tudo crê

O amor tudo crê

Escrito por: Sherry Dini | Publicado: quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Quantas vezes são lidas essas palavras de 1 Coríntios 13, em casamentos, dias de casamento, sepultamentos e outras ocasiões. Versículos desse capítulo frequentemente encontramos em cartões, em molduras artesanais para a parede, e em outras circunstâncias inspiradoras. Eles são vistos como bonita „Prosa“ e como descrição do amor ideal.

Mas quem acredita de verdade que é possível ter um amor desses? E quem está disposto a empenhar tudo o que for necessário para que esse amor se torne realidade na nossa vida?

O amor vê as faltas dos outros – mas ele escolhe não se ater a isso.

Estranho, porque essa vida, na qual se ama independente das circunstâncias momentâneas, é o resultado de uma luta contra suspeitas malignas e contra pensamentos céticos e racionais, que são constituintes da natureza humana. No versículo 7 lemos: „O amor (….) tudo crê.“ O que ele crê: O amor crê o melhor de cada pessoa. O amor não deixa „cego“, como costumamos ouvir com frequência. O amor vê as faltas dos outros – mas ele escolhe não se ater a isso. Ele vê o nobre desejo de mudar do meu irmão e da minha irmã, e não os conhece mais segundo a carne, como lemos em 2 Coríntios 5, 16 lesen. O amor crê que o mesmo espírito que trabalha no meu coração, também atua no coração dos outros. Em filipenses 4, 8 está escrito que o amor crê e tem a sua atenção naquilo que é verdadeiro. Mas não somente ao que é verdadeiro; também precisa ser algo que é digno de toda honra, o que é provavelmente útil e digno de louvor!

O amor é o contraste perfeito de desconfiança, dúvida, acusação e inveja.

Talvez eu ouço algo negativo de outros, ou eu ouço que outros tem falado algo negativo sobre mim. Como é fácil tomar conclusões e julgar os outros! Meu julgamento humano, no entanto, é manchado pela carne e minha alma (meus sentimentos e minha razão). Jesus não julgou segundo o exterior, ele julgou um julgamento justo. Ele acreditava no melhor das pessoas, mesmo quando via suas fraquezas e até seus pecados! Ele avaliava as pessoas pelo coração, pela sua boa intenção. Ele agiu segundo essa avaliação, e por isso ele podia ajudar e livrar.

O amor é fé plena na palavra de Deus e não está manchado de dúvida.

O amor é o contraste perfeito de desconfiança, dúvida, acusação e inveja. Ele prefere ser um defensor a ser acusador. O amor ajunta ao invés de espalhar. O amor é fé plena na palavra de Deus e não está manchado de dúvida. O amor tudo crê! Por isso as pessoas que estão cheias desse espírito de fé, são capazes de abençoar os outros e a fazer o bem. Eles não são impedidos por todos os seus pensamentos e julgamentos „inteligentes“ sobre os outros. Eles são livres – e justamente para isso somos chamados.

Quando eu estiver na vez de prestar conta da minha vida para Deus, não serei perguntado o que os outros fizeram ou falaram. Então será apenas segundo as minhas ações. Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro.“ 1. Pedro 1,22. Agora é a minha chance de receber um coração amoroso e puro e guardá-lo até o fim.