Sentimentos vs. pecado - você sabe a diferença?

Sentimentos vs. pecado - você sabe a diferença?

Escrito por: Kate Kohl | Publicado: sexta-feira, 3 de junho de 2016

Eu fiz a decisão que eu quero ser um discípulo de Jesus, e sei que isso significa que eu não vivo mais para o pecado. Minha mente é composta por que eu só quero fazer o bem, e eu não vou ceder quando sou tentado a pecar. Mas não é tão fácil! O pecado é sempre chega, mesmo que eu quero fazer o bem. É ainda possível obter a vitória, quando meus sentimentos são tão fortes?

Estou sentado no meu carro na garagem da minha amiga. Eu disse a ela que eu ia buscá-la às 7:45. É agora 07:50, e ela ainda não saiu de sua casa. Temos de estar onde estamos indo às 8:00. Eu já toquei a buzina duas vezes, então eu sei que ela sabe que eu estou aqui. Sinto-me tão irritado e impaciente agora. Ela faz isso, vez após vez. Eu só quero dar-lhe um pedaço da minha mente.

O pecado é sempre chega, mesmo que eu quero fazer o bem. É ainda possível obter a vitória, quando meus sentimentos são tão fortes?

Eu me sinto tão horrível. Eu tão mal quero ser paciente e bondoso, ainda aqui estou eu, sentindo-me impaciente e irritado. . . mais uma vez. Eu sinto como se eu continuasse pecando; Eu continuo a ter esse tipo de pensamento. A raiva, a inveja, pensamentos impuros, para citar apenas alguns. Eu sei que estas coisas estão erradas, a Palavra de Deus me diz isso. Qual atitude tomar?

Eu não sou meus sentimentos

Então eu me lembro algo que eu li recentemente em alguma literatura cristã:
"Em Tiago 1:14, lemos:" Mas cada um é tentado quando é atraído por seus próprios desejos (concupiscências) e seduzido. "A maioria dos crentes pensam que isso é pecado, e gostaria que eles pudessem sentir nada de suas próprias concupiscências. Quando eles estão conscientes dos desejos deles, eles pensam que algo deve estar errado com eles. No entanto, nós não lemos que não deve ser tentado, quando nos tornamos crentes, mas que seremos vitoriosos e não o pecado. [1 Pedro 4: 1-2] Esta é a nossa vocação em Cristo! Portanto, quando você é tentado, você tem pecado não comprometido; pecado só vem adiante quando você ceder a seus desejos "(de" Gloria - conquistado por Cristo, "por Sigurd Bratlie).

De repente percebo alguma coisa. Eu posso sentir como eu estou irritado e aborrecido agora, mas isso não é comigo! Os pensamentos têm definitivamente entrado na minha mente, mas eu não tenho que concordar com eles. Agora os desejos em minha carne querem assumir o controle, mas isso é realmente apenas uma tentação.

De repente percebo alguma coisa. Eu posso sentir como eu estou irritado e aborrecido agora, mas isso não é comigo! Os pensamentos têm definitivamente entrado na minha mente, mas eu não tenho que concordar com eles.

As paixões na minha carne, são de que parte da minha natureza humana que quer viver de acordo com a minha própria vontade, em vez de fazer a vontade de Deus. É a parte de mim que quer reagir de maneiras que são claramente faladas sobre na palavra de Deus como sendo errado. É porque eu tenho paixões na minha carne, que eu estou tentado em primeiro lugar. O desejo de ser impaciente, por exemplo. O desejo de ser ofendido quando alguém diz algo sobre mim que eu não gosto. Etc.

O momento da tentação

Então, quando eu sinto esses desejos que vem acima da minha carne, isso significa que eu pequei? Absolutamente não! Este é o momento da tentação. Eu só peco se eu conscientemente concordar em ceder e permitir que esses pensamentos vivam, mesmo que eu estou bem ciente que ele vai contra a vontade de Deus. Mesmo que eu sinto essas coisas, eu não tenho que reagir de acordo com eles. Eu não cometo pecado a menos que eu esteja consciente que estou sendo tentado e concorda que, sim; Eu vou fazer o que eu estou sendo tentado.

O importante para mim é lembrar que há uma diferença entre mim e o que eu sou tentado. Eu sou a pessoa que fez a minha mente não pecar, não importa o que a minha carne vem. Não importa o que eu sinto, meus sentimentos não significam uma coisa. Eu sou minha decisão; a mentalidade que eu odeio o pecado e que não quero cometê-lo. (Leia Romanos 7 e 8)

Eu não cometo pecado a menos que eu esteja consciente que estou sendo tentado e concorda que, sim; Eu vou fazer o que eu estou sendo tentado.

Então, agora como eu me sento no meu carro e sinto as paixões na minha carne, levanto-me com esses sentimentos irritados, impacientes, eu sei que esta é apenas uma tentação. Porque eu tenho uma natureza humana, com desejos, eu realmente sinto que estou sendo impaciente. Mas eu não sou meus sentimentos! Eu sou um discípulo de Jesus, que não vai pecar! Eu não concordo com estes pensamentos. Eu digo um forte e decidido "não!" À tentação. Mesmo que a minha carne se sente assim, com minha mente eu não permito.

Mesmo que meus sentimentos não podem mudar imediatamente, eu me recuso a ceder e permitir-me a pensar esses pensamentos impacientes. Peço a Deus que Ele vai me dar força para resistir à tentação, não importa quanto tempo dura, e Ele faz isso. Eu oro para que em vez de reagir com impaciência, posso reagir com amor.

Tentação = Vitória

Quando minha amiga entra no carro, dois minutos depois, ela nem precisa sentir que eu tenho tentado. Em vez disso, ela pode sentir paciência e bondade de mim. Para seu próprio bem, talvez ela não precisa ouvir que ela deve ser mais atencioso com os outros, mas uma exortação precisa sair de amor, porque eu sei que é para o seu melhor. Não por impaciência, porque eu tenho sido "incomodado." Então nós temos isso bem juntos. Não gosto do pecado que pode ficar entre nós. Então eu tenho sido vitorioso; Eu venci! Não pequei; Eu não concordei em ser impaciente e irritado.

É tal a liberdade de saber que como eu reajo quando sou tentado é inteiramente até mim.

É tal a liberdade de saber que como eu reajo quando sou tentado é inteiramente até mim. Eu sei que, pela graça de Deus, Ele me dará a força para superar todas as vezes que me sinto tentado. É apenas uma tentação de cada vez, e com cada tentação eu ganhar um pouco mais de natureza divina. (2 Pedro 1: 4) Toda tentação pode ser uma vitória, e estou ansioso pelo dia em que minhas reações naturais são os frutos do espírito. Amor, bondade, longanimidade, etc. (Gálatas 5) Esta é a minha fé!