Uma viagem pela terra prometida

Uma viagem pela terra prometida

Escrito por: Caroline Smith | Publicado: terça-feira, 11 de outubro de 2011

As malas estão prontas, o passaporte está á mão. O relógio marca três horas da manhã, estamos a caminho do aeroporto de Gardermoen. Destino: A terra prometida – Israel!

Depois de quase dois anos de economia e trabalho, 120 meninos e meninas do grupo de jovens de Horten, finalmente conseguiram alcançar seu sonho, uma viagem para Israel.

O passeio de ônibus na parte norte de Israel me fez pensar. Eu olho pela janela do avião. O que eu vejo, é uma paisagem seca e massante, que não lembra mais aquilo que a bíblia descreve como „Terra prometida“, uma terra que mana leite e mel (Êxodo 3, 8). Não encontramos outras localidades no mundo onde os rastros de acontecimentos históricos relevantes estão tão próximos. Eu olho sobre a paisagem e penso no fato, de que estes termos os quais Deus deu a Abraão, foram e ainda são o centro das atenções em todo o mundo.

10 dias emocionantes

No total três ônibus, cada qual com seu guia, nos levam cruzando Israel. Nessa viagem rica em emoções, pudemos ver, vivenciar e ouvir tudo sobre a batalha de Armagedon e Nazaré, atravessamos o mar da Galiléia e moramos no deserto como Abraão. Nadamos no Mar Morto, e não somente vivenciamos tudo o que Jerusalém tem para oferecer em acontecimentos históricos, o que impressionou verdadeiramente.

 

Uma coisa é visitar as diferentes localidades. Mas isto, de cruzar Israel e ser lembrado de como Jesus fazia em suas situações diárias, fez com que eu sentisse um desejo grande de ter o mesmo amor para com as pessoas que estão a minha volta, que teve em Jesus. Vivenciar a proximidade como Jesus viveu, também deu a mim uma gratidão muito grande para isso que Deus tem feito para mim.

Não tem dúvida alguma que nesses 10 dias foram construídos laços de significado para a eternidade, entre os jovens. A experiência mais importante e viva, que tivemos juntos, foi quando estávamos no Monte das Oliveiras – com vista para Jerusalem, Sião e o jardim de Getsêmani, cantando um poderoso hino do nosso hinário; „Caminhos do Senhor“
Nr. 356:


Minha luta desejo em fé travar.
a cruz submisso levar;
as pisadas de Cristo vou seguir,
seu olhar sempre está sobre mim.

Honras a Ti Cristo, pelo selo romper!
Teu sangue nos comprou do reino terreal,
Nos dando nível sacerdotal.

Eu penso que ao cantar este hino, nenhum único olho ficou seco. Pense que vida Jesus viveu e qual exemplo ele é. Como jovem e adulto ele migrou por Israel, e foi tentado como eu e você – porém nunca pecou. Já na idade de 33 anos ele estava completamente perfeito.

Agradecidos

Quando estávamos parados naquele local, senti que estou em uma dívida de gratidão muito grande em relação a Deus, por ele ter enviado seu filho amado. E para Jesus que terminou a carreira (a luta contra o mal na sua própria natureza). O que faríamos sem Jesus, nosso salvador e precursor? Ele sabe como está conosco, e ele quer mais do que nos ajudar.

Eu percebi como passei a me alegrar pra volta. Eu me alegrei por poder passar a viver uma vida sincera e cheia de vitórias no meu dia-a-dia – de maneira que posso me tornar uma esposa melhor para meu esposo, uma mãe melhor para meus dois filhos, uma melhor amiga, uma colega melhor e uma vizinha melhor. – Sim, eu me alegro com a intenção de trabalhar por uma vida, pela qual Jesus não precisa se envergonhar no dia em que nos encontrar!