Uma vez salvo, sempre salvo?

Uma vez salvo, sempre salvo?

Escrito por: Tom Harris | Localizar: Sydney, Australien | Publicado: terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O ensino da salvação, também conhecida como „segurança eterna“, já foi assunto de muitos debates. Mas o que a bíblia diz sobre salvação?

Normalmente se utiliza a escritura de João 10, 28, como citação, para apoiar esse ensino: „e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.“. De fato, ninguém as pode arrebatar da mão de Jesus, mas elas podem mesmas distanciar-se da mão dele.

No capítulo 15 versículo 4 Jesus exorta seus discípulos: „Estai em mim, e eu em vós: Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.
 

A salvação não é incondicional

Toda a promessa na escritura, está relacionada a uma condição. Se preenchemos as condições, então as promessas nos pertencem. Em Colossenses 1, 21-23 podemos ler, por exemplo: „A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou. No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irreprensíveis, e inculpáveis, se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé. Em 1. Timóteo 1, 19 Paulo escreve que alguns rejeitaram a boa consciência, e com isso fizeram naufrágio na fé.

Em Hebreus 3, 12-14 somos alertados: „Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim.“ Você também vê uma condição aqui? Se mantermos firmemente a nossa confiança do começo até ao fim.

Sabemos que temos um advogado, junto ao Pai, quando pecamos - Jesus. Se nos arrependemos de coração, e sentimos muito nossas ofensas passadas, então Jesus nos perdoa de todo coração. Mas o perigo é que nos endureçamos, através de ceder várias vezes seguidas nas tentações. Não lamentamos da mesma maneira que lamentamos na primeira transgressã. Cada vez mais nos tornamos endurecidos, e acabamos com um coração mau cheio de incredulidade e perdemos a nossa fé. Nos distanciamos do Deus vivo, e saimos da sua mão…

Não precisamos cair nas tentações

Como podemos evitar de nos endurecer, se vivenciamos, que caímos constantemente nas tentações? Essa é a boa notícia do evangelho. „Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos pois com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno“ (Hebreus 4, 15-16).

Está muito claro nesses versículos, que  „em tempo oportuno“, significa o tempo quando somos tentados. Jesus venceu e por isso ele pode nos ajudar a vencer „Porque naquilo que ele mesmo foi tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados“ (Hebreus 2,18). „Ora, pois já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com esse pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado“ (1. Pedro 4,1).

Não é aconselhável balançar-se em um falso entendimento de segurança, e assim arriscar a sua salvação. Deixe-nos preferir fazer aquilo para o qual Paulo nos exorta em Filipenses 2, 12: „De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor.