Acompanhado, mas assim mesmo solitário

Acompanhado, mas assim mesmo solitário

Escrito por: Brian Janz | Publicado: quinta-feira, 12 de março de 2015

Tenho amigos em seis continentes, colegas que estão mais perto do que a família e seguidores suficientes sobre as mídias sociais para constituir um pequeno exército. E eu me sinto tão solitário como um porco-espinho em uma loja de balão.

Eu não sei por quê. Eu não sei como. Eu me sinto solitário. Omitido. Como se todo mundo fosse mais amigo uns dos outros do que comigo. Eles têm mais divertimento junto. Eu realmente não pertenco a este círculo, ou a esta conversa. Eu estou em outra coisa.

Por um tempo eu quiz evitar esse sentimento com a garantia de que eu era popular. Que as pessoas realmente queriam estar comigo. Eu realmente era parte do grupo como os outros. Mas eu sabia o suficiente que mesmo se tudo isso fosse verdade, como foi frequentemente, isso não ajudaria muito contra o que eu simplesmentesentia que era a solidão. E eu continuei com uma estranha, irracional solidão, que eu não podia explicar nem me livrar dela.

Então eu lutei contra isso. E a minha guerra contra a solidão travava com três frentes.

Negar o acusador

A primeira coisa que eu tive que reconhecer foi que os pensamentos do tipo que eu não me encaixo com os outros, não faziam parte do que havia acontecido, mas que foram uma mentira que Satanás colocou para me tirar da fraternidade.

Talvez haja um grão de verdade nisso; talvez eu sou realmente estive um pouco do lado de fora, mas Satanás nunca diz toda a verdade, e nunca foi a vontade de Deus que estivéssemos sozinhos.

Satanás nunca diz toda a verdade, e nunca foi a vontade de Deus que estivéssemos sozinhos.

A Palavra de Deus me dá a garantía de que sou amado. Ele diz que eu e aqueles com os quais estou, fomos escolhidos antes da fundação do mundo. (Efésios 1,4) Para cada mentira que Satanás usa eu posso segurar a palavra de Deus e acreditar que não é a sua vontade de que eu deveria me sentir solitário. Deus vai me ajudar.

E talvez o mais importante de tudo, é o diz que«se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros.» 1. Jo 1,7. Seja qual for a mentira que Satanás usa, sei que a Bíblia é verdadeira. Se eu andar na luz, eu terei comunhão com os meus irmãos.

Confiar em Deus

«Como fui com Moisés, assim serei contigo. Eu não te deixará, nem te desampararei.» Josué 1,5-6

Deus é bom. E eu nunca estou sozinho. Existem inúmeras passagens da Biblia que falam do seu amor. Ele é fiel. Ele me ama. Ele está sempre presente para mim, embora eu sinta que eu não tenho alguém.

Crer nisso pode ser uma grande luta. Claro que Satanás tenta o seu melhor para me fazer duvidar de que Deus existe. Mas esta é apenas mais uma das suas mentiras. A palavra de Deus é verdadeira. Muitas vezes, quando estou no meio de um grupo de amigos com ondas de solidão que se fecham em cima de mim, eu oro a Deus com todo o meu coração.

E ele me ouve.

Às vezes a mão de Deus se estende e tira o sentimento de solidão completamente. Ele me faz sentir o calor e o amor do corpo de Cristo diretamente. Mas muitas vezes a ajuda consiste na força necessária para lutar. Para lutar contra a mente, as mentiras, e os sentimentos que surgem.

Ter a Deus presente para confortar e guiar-me quando minhas emoções tentam me convencer de que ninguém mais vai fazê-lo, é uma ajuda que não pode ser medida.

Oração. É um ato simples. Mas algo que é muitas vezes esquecido. Ter a Deus presente para confortar e guiar-me quando minhas emoções tentam me convencer de que ninguém mais vai fazê-lo, é uma ajuda que não pode ser medida.

Estar junto no corpo de Cristo

Deus tinha um propósito quando ele criou o corpo de Cristo. Ele queria que as pessoas estivessem juntas, para ter fraternidade e comunhão.

«Por isso, consideremos um ao outro, provocando um ao outro ao amor e às boas obras, e não nos mantenhamos longe de nossa própria congregação, como é costume de alguns, mas exortando uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que o dia se aproxima.» Hebreus 10,24-25

Nós disputamos todos na mesma luta. Estamos todos lutando contra o pecado.

Não posso deixar que emoções me tiram da fraternidade. O que me ajuda muitas vezes quando me sinto é reunir-me com outros cristãos e falar sobre a palavra de Deus. Quando eu ouço sobre a luta contra o pecado que meus irmãos tem, eu percebo que nós realmente não somos tão diferentes, apesar de nossas diferenças. Nós disputamos todos na mesma luta. Estamos todos lutando contra o pecado.

É na comunhão que vemos que não estamos sozinhos.

O golpe final contra esse inimigo é estar com outros cristãos. Para realmente aprender a amar meus irmãos em Cristo. (João 15.13) Esta é a chave.

Então, ao invés de me concentrar em ver se eu encaixo e quão bem eu sou amado ou aceito, eu posso dar a minha vida e me concentrar no meu próximo.

É na comunhão que vemos que não estamos sozinhos.

E é tão simples como enviar uma mensagem de texto a alguém para desejar-lhe um dia vitorioso. Ou oferecer-se para lavar os pratos. Levar alguém para jantar. Orar pelas pessoas. Orar com as pessoas. Há muitas coisas, grandes e pequenas, que eu posso fazer para dar a minha vida para os meus amigos.

Dar minha vida também significa lutar contra a desconfiança, dúvida, crítica e outros pensamentos negativos que Satanás quer colocar em mim. Devo lutar para resistir a esses pensamentos, mas se eu quiser ter comunhão com os outros, é um prazer fazer isso.

Quando todo o meu foco é o que posso fazer para os outros, encolhem e desaparecem os pensamentos de solidão. E então eu tenho vitoria, e eu sou parte da irmandade.

E eu nunca estou sozinho.

Kampprisen

Eu quero ser parte do Corpo de Cristo na eternidade, cercado por meus irmãos e irmãs que têm lutado contra o pecado para o seu lugar no céu.

Eu continuo atacando os pensamentos que Satanás usa tentando me seduzir. Mas eu luto contra ele. Eu luto para expor suas mentiras, para me manter perto de Deus e me concentrar no que eu posso fazer para os outros

E todos os dias que eu luto, eu chego mais perto de Deus. Sou mais fundido com o corpo de Cristo. E esses sentimentos de solidão que antes pareciam tão avassaladores e infinitamente difíceis tem sido ligeiramente mais fracos.

Eu quero ser parte do Corpo de Cristo na eternidade, cercado por meus irmãos e irmãs que têm lutado contra o pecado para o seu lugar no céu. Isso não é solidão. É uma irmandade. E a eternidade começa hoje.