Como a depressão pós-parto me trouxe mais perto de Deus

Como a depressão pós-parto me trouxe mais perto de Deus

Escrito por: Kate Kohl with “Jennifer” | Publicado: quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Jennifer compartilha sua história sobre como ela conseguiu passar pela depressão pós-parto, sem perder a sua fé.

Durante a gravidez, os níveis hormonais no corpo de uma mulher sobem ao nivel mais alto que podem chegar, e após o nascimento mergulham para baixo novamente. O resultado é que, em um momento em que uma mulher deveria se sentir exaltante e feliz por causa do dom de Deus, ela pode sentir-se chorosa, triste, monótona e desprovida de energia.

Alguns meses mais tarde, Jennifer ainda não saia dessa depressão. Embora ela não sabia disso no momento, ela lutava com mais do que apenas«lágrimas de maternidade». Ela estava no meio de uma depressão pós-parto, uma condição que pode ser tratada. O problema era que ela não percebeu isso até depois do nascimento do seu segundo filho. Ela culpava seus sentimentos pela privação do sono, coisa que qualquer mãe nova sabe como é.
 

Ela culpava seus sentimentos pela privação do sono, coisa que qualquer mãe nova sabe como é.

Como se sente a depressão pós-parto

Considerando-se que 10-20 por cento das novas mães sofrem com a depressão pós-parto, perguntei Jennifer se ela se importaria compartilhar sua história, para ver se ela poderia ajudar e dar esperança a outras novas mães que estão lutando com o mesmo problema.

– Inicialmente eu me comportei de maneira que não deveria, diz Jennifer. Eu não fui ao médico. Isso definitivamente é algo que você deve falar com um médico; é algo que você pode obter ajuda médica. Mas naquela época eu não sabia o que estava fazendo.

– A depressão pós-parto afeta tudo; ela muda a personalidade. Eu não tinha absolutamente nenhuma energia para qualquer coisa. Apenas ficava sentada no sofá e dobrava roupas, o que parece ser a tarefa mais fácil, era demais para mim. Eu me sentia sozinha, eu me sentia sem esperança, eu me sentia fisicamente cansada, sentia-me como uma pessoa diferente do que eu costumava ser. Normalmente eu gosto de estar com as pessoas, mas na época eu não gostava de jeito nenhum.

Sentia-me como uma pessoa diferente do que eu costumava ser.

– E a coisa mais difícil era que eu não sentía nenhuma relação com o meu bebê. As pessoas sempre falam sobre o amor que você tem para com seu primeiro bebê, mas eu não sentia nenhuma conexão entre mãe e filho. Eu estava fazendo o meu trabalho como mãe, apenas porque eu deveria fazer isso.

– Eu estava realmente cercada por pessoas que se importavam comigo e faziam o melhor por mim. Especialmente meu marido foi um apoio incrível. Mas muitas vezes ele se sentia inútil e não sabia como ele poderia ajudar, e eu ainda me sentia sozinha.

Como passar por isso

– O que me carregou nesse tempo foi minha confiança em Deus. Lidar com a depressão pós-parto pode afetar espiritualmente. Você se sente deprimida, e Satanás pode facilmente chegar com muitas idéias para que tenhamos uma sensação pior.

– Você é inútil, você não vale nada, você é inepta, ele tentou me dizer, enquanto eu estava sentada no sofá outro dia, incapaz de realizar até mesmo a menor tarefa além de cuidar do meu filho.

Quando eu escolhi me agarrar a Deus neste tempo, a coisa mais difícil que eu já conheci, eu me senti mais perto dele do que nunca antes em minha vida.

– Mas Satanás é também conhecido como«acusador» (Apoc. 12,10), e «pai da mentira» (Joao 8,44). Rejeitei estes pensamentos, sabendo que sua única intenção era me afastar de Deus. Quando eu escolhi me agarrar a Deus neste tempo, a coisa mais difícil que eu já conheci, em vez de ouvir as mentiras de Satanás, eu me senti mais perto de Deus do que nunca antes em minha vida. Quando eu estava realmente seriamente deprimida, eu sempre podia contar com Deus. Eu nunca senti que ele me tivesse abandonado. Sim, eu me sentí deprimida, eu queria chorar, eu me sentia inútil. Mas quando eu orava, me sentia literalmente carregada por Deus para poder passar e sair dessas situações ou dias ou pensamentos que eram uma luta para mim. Eu sabia que Deus estava perto de mim, cuidava de mim, e me levantou.

– A tentação de reclamar vem. É fácil pensar pensamentos como: «Eu desejava que esta não fosse a minha vida.» ou: «Por que isso é assim?» Olhava outras mães e pensava que a vida delas era tão fácil. Era tentador me comparar com elas, mas esse tipo de pensamento trazem apenas incomodo consigo. Eu escolhi a nunca ceder a esses pensamentos. Eu sabia que tinha que lutar contra eles, até mesmo contra o menor pensamento de reclamar ou sentir pena de mim mesma. Eles não são os pensamentos de Deus. Isso não significa que eu fisicamente tive que sorrir e rir e fingir que eu me sentia melhor do que era em realidade, mas eu nunca deixei entrar o espirito do acusador.

– A depressão pode facilmente levar a ressentimento, reclamação, medo, e muitas outras coisas. Mas a palavra de Deus diz: «Pois eu sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor. Pensamentos de paz e não de mal. Vou dar-lhe esperança e futuro.» Jeremias 29,11.

– Não é fácil se apegar a essa fé, e resistir ao acusador quando tudo parece ser demais. Mas a alternativa, de permitir que acusações e desesperança de Satanás, incredulidade e desespero controlem a minha vida, não era uma opção. A fé não mudou os meus sentimentos, mas ela me carregou.
 

Trabalhando com culpa

– A maior tentação pode ser facilmente se sentir culpada, porque você não tem esses sentimentos de amor para com seu filho que você pensou que teria. Em vez disso é confrontada com pensamentos: «Eu não vou fazer isso; não é o que eu imaginava, e eu não amo ser mãe. Ficamos sentadas e esperando os bons sentimentos virem e eles simplesmente permanecem ausentes. Mas a melhor maneira de amar o seu filho nestes momentos é cuidar dele tão bem quanto possível, independentemente do que a pessoa sente. Deus também me ajudou a fazer isso. E é claro que eu amei o meu bebê, mas os sentimentos não estavam presentes.

– O Salmo 23 foi um consolo enorme nesse tempo.

«O Senhor é meu pastor, nada me faltaráe ... Ele restaura a minha alma ... Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum. Pois tu estás comigo, a tua vara eo teu cajado me consolam.»

A melhor maneira de amar o seu filho nestes momentos é cuidar dele tão bem quanto possível, independentemente do que voce sente.

– Às vezes parecia que eu vivia no vale da sombra da morte, mas apenas lendo estes versos eu fui levantada. Então eu sabia que Deus estava ali e que ele cuidava de mim, não importava como eu me sentia. Não era uma sensação de que ele se importava, mas de alguma forma eu sabia. Ele me levantou. É tão importante ler a palavra de Deus, para se aproximar dele em momentos como estes, mesmo se você não tem vontade pare isso. Ele nos leva para mais perto dele, trazendo calma e paz.

«Aproximem-se de Deus e ele se aproximará de você.» Tiago 4,8

Hinos de fé

– Nos dias em que eu estava sentada no sofá e sentia-me triste e deprimida, e quando os pensamentos escuros vinham, então eu abria o hinario e apenas lia as canções da igreja para incentivar-me. Especialmente este:

Aquele que em Cristo escolheu-nos,
Antes mesmo do mundo fundar,
Com amor em seu tempo chamou-nos,
mais que um pai ele quer nos guardar.
Dia e noite seu coração arde,
buscando só a ti bem fazer.
se tudo em suas mãos deixares,
Todo o teu ser sim salvará.

É tão importante ler a palavra de Deus, para se aproximar dele em momentos como estes.

«Fazei prova de mim», sua voz soa.
Feliz quem cre tal qual dito está!
Ainda que tua mãe te esqueça,
Teu Deus jamais te esquecerá;

– Às vezes eu realmente me sentía como se os outros tivessem me deixado, embora eu saiba realmente que isso não era o caso. Mas eu me sentia tão sozinha.

… Para quem sua miseria enxergar,
Ele diz seu glorioso «será!»
Se tudo em suas mãos deixares,
Sobre ti o céu se abrirá.

(Caminhos do Senhor #295)

Mais perto de Deus

 – Depois que eu tive meu segundo bebê percebemos o que estava acontecendo, e eu recebi medicamentos. Ajudou muito. A vida era muito mais normal depois disso. E quando eu olho para trás nesses anos sombrios, eu não penso na parte escura dos mesmos. Eu olho para trás e estou muito grata pelo tempo, e eu não quería ter mudado isso. Eu me aproximei muito de Deus através do que eu vivenciei.