Como a solidão perdeu o controle sobre mim?

Como a solidão perdeu o controle sobre mim?

Escrito por: Lucy Jacobs | Localizar: Didcot, Inglaterra | Publicado: domingo, 10 de julho de 2016

No meio da minha adolescência eu era ativa em todos os sentidos. Eu amava o esporte, sempre estava ocupada nos trabalhos e envolvida nas atividades da igreja. Sabia que amava a Deus e queria ser um discípulo, mas no meio de tudo isso eu também me sentia incrivelmente solitária.

Senti que não tinha amigos. Muitas vezes, eu pensava: «Por que eu? Todo mundo tem um amigo que está sempre lá; Por que Deus não me dá um amigo para mim?» Porque quase sempre tinha um sorriso nos lábios ninguém sabia que eu estava tão sozinha, no entanto eu tinha uma sensação de vazio interior.

Percebi depois de um tempo que a minha auto-estima tinha caído e estava perigosamente ocupada de mi mesma e de quão terrível minha vida parecia ser. Estava construindo uma parede interna de ressentimento que me cegou de todas as outras necessidades a não ser as minhas. E apesar de reconhecer que esse muro estava perante mim, eu realmente não sabia o que ia fazer com ele.

«Deves deixar de viver por si mesma»

Um fim de semana foi o grupo de jovens da nossa igreja se reuniram para algumas atividades, e contra a minha vontade eu fui. No entanto, não demorou muito para que eu me vi sentado sozinho. Um dos irmãos mais velhos, que trabalham com jovens e ele conhecia e viu uma tristeza por trás de meu sorriso, e sentou ao meu lado. Abri a porta do meu coração e disse que estava tão preocupado. Ele ouviu atentamente e sorriu um pouco quando eu disse a minha história que «não tinha amigos.»

O que ele me respondeu me atingiu fortemente, e são palavras que sempre levarei comigo e serei agradecida por elas, «Lucy, você tem que parar de viver para si mesma, e dar a sua vida para os outros. Basta esperar e ver o quão feliz Deus vai fazer você».

Eu pedi para abrir meus olhos e me dê o desejo de ajudar e abençoar as pessoas, e que me fizesse uma pessoa feliz.

No fundo eu sabia que estava certo; Eu sabia que era eu que tinha que mudar, não o resto. Em Tiago 1:14 está escrito que cada um é tentado e seduzido por seus próprios desejos. Isto significa que o problema está em mim; eles são minhas próprias paixões e desejos, as minhas necessidades e sentimentos de insatisfação tão angustiante com a qual eu trabalho, independentemente de como os outros me tratam. Naquela noite, eu me ajoelhei e orei fervorosamente a Deus. Eu pedi para abrir meus olhos e me dê o desejo de ajudar e abençoar as pessoas, e que me fizesse uma pessoa feliz.

Pude dizer sinceramente que minha vida nunca mais foi a mesma desde então.

Uma batalha consciente

Em vez de permitir que meus pensamentos giram apenas em torno de mim e minha situação, eu decidi começar a viver para os outros. Eu fiz uma batalha consciente em minha vida e meus pensamentos contra a solidão, desespero e auto-piedade, então deixe a paz de Deus em meu coração para mudar. (Colossenses 3:15) Sempre que um pensamento negativo veio imaginei feichando a porta, de modo que não tivesse nenhuma vitória ou qualquer poder sobre mim

Além de lutar contra essas inclinações dentro de mim, eu também me tornei ativa dentro de mim, com as coisas práticas que eu poderia fazer. Eu havia pedido a Deus naquela noite que ele pudesse abrir meus olhos para ver as necessidades dos outros, e isso é exatamente o que ele fez!

Sempre que um pensamento negativo veio imaginei feichando a porta, de modo que não tivesse nenhuma vitória ou qualquer poder sobre mim

Aos poucos, comecei a ver as pessoas ao meu redor que se sentiam solitários ou excluídos que talvez me precisassem como um amigo ou como alguém que poderia ajudar. Eu usei o que eu tinha fazendo coisas bem pequenas, detalhes do dia a dia como levá-los no meu carro, comprar algo bom para as crianças que eu conhecia, e sempre, assim que alguém me veio à mente, orava por elas. Fazia o que podia para fazer os outros felizes, e, como resultado eu mesma era feliz.

A alegria não veio de forma instantânea em mim, mas veio com o tempo.

Uma nova maneira de pensar

Depois de algumas semanas praticando isso, cheguei ao fim de um dia de trabalho e eu percebi que eu não tinha cedido uma vez para auto-piedade ou tinha perdido o tempo com meus próprios problemas. Deus mudou a minha maneira de pensar, e realmente eu tinha começado a cuidar dos outros. Aqueles com quem tinha passado algum tempo e aqueles que tinha orado se tornaram meus amigos, mesmo sem perceber. E devido a isso a solidão se foi e já não tinha controle sobre mim.

Hoje a minha situação é muito diferente. Antes eu estava desesperado para ter amigos, e autopiedade me levou para baixo. Mas quando eu parei de se concentrar em mim mesma e eu comecei a usar meu tempo com coisas que têm o valor correto, fui capaz de construir amizades duradouras com pessoas ao meu redor. Deus abriu meus olhos para coisas que eu era cega, e agora os meus pensamentos não são mais baseadas mais em "mim, eu mesma, em eu".

Deus mudou a minha maneira de pensar, e tinha realmente começado a cuidar dos outros.

Isso não quer dizer que sempre foi tudo " cor de rosa". Satanás voltou várias vezes para tentar me levar de volta para os lugares escuros que eu estava. No entanto, tenho resistido; escolhi cuidar das pessoas ao meu redor, e ser uma bênção e uma amizade para os outros. Eu tenho guardado as palavras de Jesus sobre o amor diante dos meus olhos: "Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos." João 15:13.

Como resultado, ele me abençoou mais do que eu posso explicar! Tenho amigos sólidos, confiáveis e fiéis demais para contar. Eles são pessoas que sempre estiveram lá, mas não era capaz de vê-los adequadamente por causa da minha própria visão egoísta, turva. Vi-os quando eu decidi parar de se concentrar em mim mesmo!