„Hockey foi minha paixão”

„Hockey foi minha paixão”

Escrito por: Laura Kloosterman | Localizar: Vancouver, Kanada | Publicado: terça-feira, 23 de novembro de 2010

O inverno se aproxima e para muitos canadenses isso só tem um significado: Hóquei no gelo.

Quando a nova estação começa, jovens de todas as idades compram patins novos, tacos e capacetes. Alguns começam do zero, outros esperam melhorar, e todos mal conseguem esperar para sair e andar no gelo. Para muitos canadenses o hóquei no gelo não é somente um esporte – é um estilo de vida.

Jeremy (24) é um dos jogadores mais experientes da igreja de Vancouver. Ele cresceu em um lar de família cristã de Britisch Columbia. Seu primeiro tiro ele fez com 7 anos. Uma hora antes de começar o treino semanal, eu consigo a sua opinião sobre o esporte mais popular do Canadá. É ofertado todas as semanas para crianças e adultos entre 12 e 36 anos, no qual ele participa juntamente com outros 25 jovens.

Uma bomba-relógio

Unicamente se tratava de quem poderia jogar melhor e golpear com mais força.

Ele está descontraído e não tem nada contra em conversar comigo, mesmo não gostando de lembrar de todas as coisas. „Hóquei foi um palco no qual poderia me realizar - ao menos em meus pensamentos. Unicamente se tratava de quem poderia jogar melhor e golpear com mais força.“

„Eu fui uma bomba-relógio“, Ele me conta posteriomente. Quando as coisas não andavam como deveriam andar, segundo a sua opinião, ele saía de si. Quando errava muitos tiros ou tinha que deixar o jogo ele ficava irritado e frustrado. Ele reconhece que isso aconteceu porque ele estava muito preocupado consigo mesmo.

Mas esse não é o  jovem que vejo diante de mim. Ele é feliz – Não existe outra forma de descrever, ele é simplesmente feliz. Eu pergunto o que foi a razão da mudança.

„Agora eu jogo hóquei com uma razão bem diferente“, ele me explica entusiasmado. „Quando o nosso grupo de jovens se reúne para jogar, a intenção é ter bons momentos juntos“.

Mais e mais como Jesus

Não existem mais dias bons ou ruins…

Comparado com o menino frustrado e agressivo, Jeremy agora tem uma visão diferente da vida. Ele tinha se decidido de viver a sua vida unicamente para Deus. Agora ele sabe que nem tudo gira em torno „dele“. Ele ainda joga hóquei, mas hóquei em si nunca foi o problema. Vencer a sua irritação e seu egoísmo foi a mudança. „Agora eu curto muito mais jogar hóquei do gelo e jogo mais livre, porque não preciso mais cultivar minha imagem. Não existem mais dias bons ou ruins“, é seu comentário conclusivo, enquanto ele caminha para vestir seus equipamentos.

Ser o melhor jogador, há tempos não é mais o alvo de Jeremy. Ele encontrou uma receita simples para a felicidade, não apenas para o jogo de hóquei, mas também para sua vida diária. O seu desejo de ser cada vez mais e mais como Jesus, agora é a sua paixão.