”Onde está a defesa?”

”Onde está a defesa?”

Escrito por: Janne Epland | Publicado: quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Eu me concentro no disco lá na frente. Eu vejo ele através da grade do capacete. O coração bate um pouco mais rápido do que o normal, mas meu corpo está bem tranquilo.

Somente uma coisa conta para preocupação, é que o gol atrás de mim fica vazio. Minha respiração evapora e dentro das luvas as minhas mãos agarram o taco de hóquei com muita força, repentinamente. Os jogadores lá na frente mudaram de direção e estão vindo muito rapidamente em minha direção com o disco.

Eu olho desanimado para a defesa do meu time atrás de mim, mas ela está bem longe. Tenho que defender o gol contra alguns jogadores com propósito fixo. Instintivamente eu abro minha boca e grito: „Onde está a defesa?“ De repente meu corpo está escaldante e meu coração bate desesperadamente. Antes de conseguir me localizar o disco já está na rede atrás de mim.

Nesse esporte dinâmico só demora alguns poucos segundos até que o jogo continua do outro lado do gelo.  Eu penso e organizo meus pensamentos:

O que aconteceu na realidade? Eu me aborreci, quase fiquei irado com meus amigos. Foi o erro deles. Eles não estavam em seus lugares. Mas foi certo gritar desse jeito? Eu penso sobre o que aconteceu dentro de mim nesse exato momento. É humano ser  „arrastado“ completamente pelo jogo, dizer e pensar coisas que na realidade não pensamos dessa maneira. Mas deve continuar sempre assim comigo, isso de reagir dessa mesma maneira?

A expressão „natureza divina“ me ocorre repentinamente. O que está escrito sobre isso? Está escrito que Deus nos escolheu e tem „… nos dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.“ 2. Pedro 1, 3-4. De repente está tão claro para mim, como nunca antes. Eu não preciso mais continuar reagindo de maneira humana!


Deus me deu luz. Ele mostrou isso para mim, pois tem confiança em mim, e quer que me torno feliz, e livre do pecado que me amarra.

Está claro para mim que não consigo sozinho. Ás vezes eu sou tentado primeiro. É praticamente como um aviso. Mas as vezes vem a reação humana sem que na realidade tenho tido tempo de pensar, como foi agora. Quando ouço a voz de Deus, posso ser liberto do mal na minha carne, daquilo que sou tentado, e receber mais parte no bem. Mas primeiro Deus tem que me mostrar o que mora em mim, para que as fraquezas inconscientes na minha carne, se tornam conscientes. Então posso e devo trabalhar com isso.

Na realidade não quero reagir assim, como tenho reagido, mas sei que da próxima vez isso não precisa acontecer, porque está claro e consciente que vou encarar a tentação consciente. Eu posso pedir a Deus que pode me dar força e graça para receber a vitória justamente sobre isso. Através da fidelidade em continuação, posso ser realmente livre disso, cada vez mais reagir da maneira que Deus quer. Isso significa receber parte na sua natureza divina. Isso é fantástico!

„Exatamente isso aconteceu agora“, eu penso. Deus me deu luz. Ele mostrou isso para mim, pois tem confiança em mim, e quer que me torno feliz, e livre do pecado que me amarra.

Eu fico tão feliz e dessa vez o calor irradia do meu coração. Que esperança! Eu sorrio no meu capacete, sabendo que nesse tornei de hóquei eu aprendi o que jamais tinha aprendido.